Acampar e Orientar-se

Acampar e Orientar-se

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

ACAMPAR

 

REGRAS PARA OS ACAMPAMENTOS

 

1. Seja pontual

2. Esteja Presente a cada chamado

3. Nenhum acampante deve ultrapassar os limites estabelecidos para o acampamento sem autorização

4. Cuidar dos objetos pessoais

5. Usar trajes adequados para cada momento

6. Durante as atividades, dar o melhor de si e estimular o melhor dos outros

7. Evitar todo espírito de competição valorizando a participação

8. Respeitar a privacidade dos outros

9. Não permitir em qualquer situação o surgimento de discussões e brigas

10. Estão proibidas brincadeiras de mau gosto

11. Respeitar os responsáveis pela ordem e seguir suas orientações

12.  Zelar pela limpeza e ordem do acampamento com o objetivo de deixá-lo melhor do que foi recebido

13. Não entrar nas dependências da cozinha, a menos que seja solicitado

14. Silêncio após o horário estabelecido

15. Siga os preceitos da promessa e da Lei Escoteira.

 

PRIVILÉGIOS DE QUEM ACAMPA

 

· Dormir em barraca.

· Comer uma comida gostosa.

· Escutar as crianças dizerem que não dormiram por uma série de motivos, sendo que na noite anterior ficaram até tarde conversando...

· Visão espetacular da natureza.

· A inspiração e a presença de Deus.

· Cânticos alegres, animados e bonitos.

· Escutar histórias junto à fogueira.

· Sentir o calor da fogueira.

· Admirar as faíscas que sobem e o contraste da fogueira com a noite escura.

· Acordar alguém que já está dormindo ao final da programação da fogueira.

· Sentir a barraca gelar às 4 horas da manhã.

· Aprender coisas novas.

· Conhecer melhor as pessoas.

· Acampar no alto de um morro e admirar a paisagem.

· Deslumbrar-se com o amanhecer, quando é visto um mar de algodão formado pela cerração, com várias ilhas que são as pontas dos morros.

· Maravilhar-se com o pôr do sol.

· Emocionar-se com a beleza de uma noite completamente estrelada.

· Sentir o ar frio da noite.

· Caçar um tal de "tirisco" e ainda não encontrar "o dito cujo".

· Contar piadas ao redor do fogo.

· Rir das piadas ao redor da fogueira.

· Seguir trilhas em meio à natureza.

· Pelo menos uma noite ir dormir tarde.

· Escutar apenas o barulho dos grilos.

· Escutar apenas o silêncio da natureza.

· Escutar o canto dos pássaros.

· Sair da rotina.

· Evitar o "stress".

· Esquecer um pouco as coisas artificiais e supérfluas da nossa vida.

· Valorizar o que temos.

· Aprender um pouco mais de humildade.

· Reafirmar o segredo do sucesso: a união.

· Extravasar alegria.

· Brincar.

· Sorrir.

· Sonhar.

· Ver, ouvir e sentir coisas novas.

· Sentir o calor do sol.

· Crescer física, mental e espiritualmente.

· Aprender valiosas e importantes lições.

· Valorizar ainda mais a amizade.

· Relembrar que temos um Grande Deus!!!

· Esquecer a televisão e o computador.

· Valorizar as coisas simples da vida.

· Carregar uma mochila pesada.

· Chegar em casa e lembrar que esqueceu algo no acampamento!!!

 

DICAS

 

No acampamento vamos colocar em prática todas as técnicas escoteiras, mateiras, de segurança, ou seja, tudo aquilo que aprendemos na sede, dando oportunidade ao crescimento do espírito escoteiro.

 Montando a barraca, as pioneiras do canto de patrulha, cozinhando as próprias refeições, divertindo-se nos jogos, cantando no fogo de conselho ao redor da fogueira são momentos que você irá lembrar por muito tempo, por ter vivenciado a fraternidade escoteira.

 Após adestramento em atividades na sede do Grupo, é hora de colocar em prática tudo aquilo que foi treinado. Alguns cuidados devem ser tomados para que a atividade seja a mais proveitosa possível para todos:

    * Durante o verão, acampe preferencialmente próximo de árvores frondosas para aproveitar a sua sombra à tarde. Para isso, convém saber onde nasce o sol, o que permitirá a montagem da cozinha em um lugar adequado, o mais sombreado possível, e prevenir que à noite a barraca esteja quente e abafada. Evite árvores muito altas ou isoladas que durante as tempestades atrairão raios. 

    * Durante o inverno, é aconselhável acampar próximo a uma pedra grande, para que os raios solares aqueçam durante o dia e à noite irradie o calor, diminuindo o frio local. 

    * Verifique a direção e sentido do vento, pois a entrada da barraca não deve ser frontal ao vento. 

    * Cerque sempre o local de acampamento, para evitar invasão de intrusos, desconhecidos, animais, etc. 

    * Não leve “contrabando”, para não atrair animais próximos ao local de acampamento. 

    * Deve ser mantida uma vigilância (a famosa “Ronda”) no período que estiver acampando, para que não ocorra invasão de intrusos, desconhecidos, animais, etc. 

    * Sempre tenha um canto do lenhador, abastecido com lenha suficiente para cozinhar 2 ou 3 refeições. 

    * Cave valetas em torno da barraca para impedir a invasão de água de chuva. 

    * Não se instale em terrenos baixos e planos, pois o acampamento pode se transformar num lamaçal. 

    * Procure não acampar em lugares úmidos e onde a vegetação é cerrada, devido a maior probabilidade de proliferação de insetos como mosquitos e pernilongos. 

 

Após ter desmontado o acampamento, faça um pente fino. Lembre-se:

 

Devemos deixar o ambiente melhor do que quando o encontramos

 

Acantonamentos

 

A principal diferença entre acampamento e acantonamento é que no acampamento os escoteiros montam seu canto de patrulha, dormindo nas barracas. Enquanto que em acantonamento os escoteiros dormem em área coberta, tal como galpões, ginásios, casas, etc, sendo que as demais atividades podem ocorrer normalmente como em um acampamento, conforme a programação planejada.

 

Bivaque

 

Bivaque, palavra derivada do alemão beiwache , ou do francês bivouac , que significa: área de estacionamento em que você só dispõe de abrigos naturais, especialmente árvores, cavernas ou pedras planas. Bivaque é a técnica de se dormir na natureza sem a utilização de barracas, com o maior conforto possível e a menor agressão ao meio ambiente, é a arte de se abrigar sob as estrelas e de enfrentar as piores situações possíveis com muita criatividade. Os bivaques podem ser feitos com abrigos naturais ou construídos.

 

Excursões

 

São atividades de passeio que têm por objetivo a recreação, confraternização, formação, pesquisa, informação, visitas e assim por diante. Assim como os acampamentos, esta é também uma atividade que gostamos muito.

Elas podem ser realizadas das mais variadas formas: a pé, de bicicleta, de ônibus, de barco, ou qualquer combinação destes e de outros meios de transporte.

Uma excursão pode ser de um ou mais dias, de acordo com o planejamento da tropa. Como exemplo podemos citar:

 

    * uma excursão na cidade, tendo por objetivo a educação no trânsito;

    * uma excursão no campo, visando a aplicação do uso de bússola e mapa topográfico, confecção de croquis, pesquisas sobre meio-ambiente, levantamento sócio-econômico, etc;

    * um passeio noturno;

    * uma excursão com visita a uma cidade histórica;

    * um passeio de barco com atividades recreativas. 

 

MOCHILA

 

Leis da mochila bem arrumada

 

   1. Tudo fica DENTRO DA MOCHILA, nada pendurado para fora ou carregado nas mãos.

   2. Tudo deve ficar dentro de sacos plásticos, impermeáveis.

   3. Escolha uma mochila do seu tamanho (verificar se a barrigueira aperta direito), com armação rígida (alumínio ou aço) e alças acolchoadas.

   4. Distribua o peso uniformemente 

 

DICAS GERAIS

 

* A forma de distribuir o material pode variar dependendo do tipo de caminhada a ser enfrentada

* A forma de ajuste também

* Mantenha a mochila o mais alto possível e o mais junto ao corpo possível utilizando principalmente a barrigueira para transferir o pêso às pernas. As alças de ombro devem funcionar mais para aproximar a mochila ao corpo, e cuidado para não apertá-las demais e afetar a circulação de sangue.

* Veja nos desenhos abaixo como distribuir peso na mochila:

 

A relação de materiais e equipamentos a seguir, procura orientar “como” e “o que” levar numa atividade de campo. Lembre-se que um escoteiro tem de ser capaz de levar sua própria mochila, portanto observe sempre estes princípios básicos:

 

QUANTO MENOS PESO MELHOR

QUANTO MENOS VOLUME MELHOR

 

    * TODO material deve ser IDENTIFICADO com o seu nome.

    * Leve roupas e tênis confortáveis e de preferência mais VELHOS.

    * Na mochila coloque cada item num saco plástico, cuidando para que as roupas, toalhas e coisas macias fiquem no lado que estará em contato com suas costas e coisas duras no fundo. Objetos que serão usados freqüentemente devem ser colocados na parte de cima (material de higiene, prato, caneca, etc.). 

 

O que levar para um acampamento de 3 dias

 

O material listado a seguir é suficiente para um acampamento de 3 dias (2 noites). Qualquer coisa adicional significa apenas peso e volume.

 

Vestuário

 

Uniforme COMPLETO

03 camisetas

02 cuecas

01 conjunto de moletom

02 shorts ou bermuda

01 calção de banho

03 pares de meia

01 capa de chuva

01 agasalho para frio

01 tênis sobressalente

01 chinelo

01 calça jeans

 

Alimentação

 

01 sacola de pano para guardar os utensílios

01 prato fundo de plástico (não descartável)

01 caneca de plástico (não descartável)

01 colher, garfo e faca (não descartável)

 

O que é proibido levar

 

    * Vidros, louças ou qualquer outro tipo de material que ao quebrar possa provocar ferimentos.

    * Mini-games, brinquedos, walk-man, bichinho virtual, rádios ou qualquer outro tipo de bugiganga pois não haverá tempo para uso, aproveite a oportunidade do contato com a natureza fazendo coisas diferentes daquelas que podemos fazer na cidade.

    * Balas, chocolates, salgadinhos ou qualquer outro tipo de “contrabando”, descontrola a alimentação e causa distúrbios orgânicos, além disto, podem gerar problemas de relacionamento e/ou algum desconforto entre os elementos, além de atrair para a barraca, formigas e outros visitantes indesejáveis.

    * Produtos em forma de spray (desodorante, repelente, etc.). 

 

BARRACA

 

A barraca da patrulha é o nosso dormitório ao ar livre e igual que fazemos em nossa casa, é um espaço que devemos cuidar e desfrutar. Para nos beneficiar, existem dois requisitos fundamentais: manter a barraca em boas condições e armá-la corretamente.

Como montar corretamente uma barraca?

 

Localização da barraca

 

• Escolha um local elevado, plano e com uma boa drenagem no caso de chuva.

• Nunca ponhas tua barraca nas margens de um rio ou arroio, nem dentro do leito seco.

• Não montes a barraca debaixo de grandes árvores. A queda de ganhos ou grandes frutos poderão causar acidentes. A resina de algumas

árvores pode inutilizar o sobre-teto da barraca.

• É perigoso armar a barraca debaixo de árvores solitárias, porque poderão atrair raios em caso de tempestade.

 

Preparando o local

 

• Limpe o local de elementos duros tais como paus, pedras, espinhos, vidros, latas e outros que possam rasgas o piso da barraca e incomodar

na hora de dormir. Lembre-se que alguns objetos podem parecer muito pequenos, porém podem resultar em grandes tormentos na hora de

deitarmos sobre eles.

• Prepare um colchão de palha, ervas e folhas secas e cubra-os com plástico grosso para que o piso da barraca não se suje nem umedeça.

 

Orientação

 

• Oriente a barraca para que receba sol pela manhã e sombra a tarde.

• Coloque-a de modo que a entrada não fique para o lado dos ventos dominantes.

 

A montagem da barraca

 

• Desembale a barraca e estenda no local escolhido, alisando-a bem para não formar dobras.

• Durante a montagem, todos os zíperes devem permanecer fechados.

• Fixe o piso da barraca usando espeques, começando pelos vértices opostos para que a tensão seja constante 

e parelha.

• Monte a armação da estrutura, abra a barraca e introduza-os para o local indicado, normalmente com reforço do 

tecido. Colocados a armação, volte a fechar a barraca.

• Para que a barraca se mantenha de pé, estique as adriças e fixe-as no solo com espeques, da mesma maneira 

que fizestes com o piso da barraca.

• Estique e tencione as adriças principais (porta e da parte traseira) e se for necessário, endireite a barraca 

afrouxando ou esticando as adriças laterais.

• Para instalar o sobre-teto se procede da mesma maneira. O sobreteto nunca deve estar em contato com o teto da barraca.

• Em certas condições de clima e de terreno, a localização da barraca pode correr o risco de entrar água da chuva. Nestes casos, deverás fazer

uma valeta de não mais de 10 cm de profundidade em volta da barraca, procurando que o deságüe se faça por um declive natural. Lembre sempre

de tapar a valeta quando for levantar acampamento.

 

Durante o acampamento

 

• Ao fazer o asseio matinal, abra bem a barraca para que ventile e feche-a depois de um

 tempo para que não entre animais ou suje.

• Procure não entrar e sair constantemente da barraca, pois além de sujá-la podes ainda 

fazer algum estrago.

• Nunca entre com os calçados nos pés.

• Tencione, estique ou afrouxe as adriças diariamente.

 

Desmontando

 

• Antes de desmontá-la, limpe bem seu interior e exterior.

• Siga os mesmos passos da montagem porém em sentido inverso.

• Limpe a terra dos espeques e guarde-os imediatamente em sua sacola, deste modo 

evitarás que se deteriorem e se percam.

 

Escolha da Barraca

 

A escolha de uma boa barraca será o primeiro, mais não menos importante, passo no decorrer do seu aprendizado. Hoje (diferente de antigamente, quando costurávamos nossas próprias barracas) existem fábricas especializadas na produção dessas "coisas de plastico" e lojas de artigos para acampamentos. Antes de sair correndo atrás dessas lojas de camping pense bem:

 

  • O tipo: Como abordado no livro "Escotismo para Rapazes", existem basicamente dois tipos de barracas: as barracas para longos e as barracas para curtos acampamentos. A barraca para longos são pesadas e rusticas porém, são uma excelente proteção contra o calor e frio excessivos; as de curta duração são leves, bem trabalhadas e fáceis de armar porém, não protegem muito bem ao frio e calor;

  • O preço: Lembre-se da 9ª Lei Escoteira e corra atrás de um bom preço!

  • A durabilidade: Pergunte ao vendedor sobre durabilidade da barraca, os bons fabricantes não escondem esse 'detalhe';

  • A facilidade de uso: Quanto menor o tempo e a energia gastos na armação da barraca maior o tempo para outras atividades.

  • Faça a sua: Você pode confeccionar a sua própria barraca! Certamente será uma ótima experiência para sua patrulha que pode, inclusive, ser uma fonte de renda na venda para outras patrulhas.

 

Eis algumas características de alguns modelos mais comuns:

 

      1. Barraca do tipo Canadense:

       

    * É um dos modelos mais tradicionais, de formato triangular quando vista de frente. 

    * Fácil de montar, pode ser encontrada em tamanhos variados. 

    * Como sua armação geralmente é de metal, é pesada para ser carregada a pé por trechos longos. 

    * O material também influi na escolha, sendo as feitas de lona mais quentes e pesadas que as fabricadas em nylon. 

 

      2. Barraca do tipo Bangalô:

       

    * Também tradicional, parece uma casa. Tem quartos e uma varanda onde pode ser instalada a cozinha. 

    * É muito pesada por possuir a armação de metal e ser fabricada em lona. 

    * Abriga no mínimo 5 pessoas. Boa para famílias inteiras.

 

      3. Barracas do tipo Iglu:

       

    * Vários modelos, de formato variável, desde o tradicional iglu até modelos tubulares semelhantes a casulos. 

    * Há modelos grandes de base hexagonal com capacidade para mais de cinco pessoas. 

    * A armação é de fibra sintética (vidro, carbono), muitas vezes mais leve que as armações metálicas. 

    * São fabricadas em nylon e muito leves para carregar. 

    * Perdem em durabilidade para as de armação metálica. 

 

MONTAGEM DE CAMPO

 

Quanto mais cedo puder chegar ao local com os acampantes, mais fácil será a instalação de um acampamento confortável. Não recomendamos o hábito de mandar alguns previamente para instalar o acampamento, porque desta maneira os Escoteiros perdem uma parte preciosa de seu adestramento. A planta de instalação do acampamento pode ser previamente traçada pelo mapa ou croquis feito na visita ao local e as tarefas e encargos distribuídos antes da partida.

 

Ao fazer a planta do acampamento tenha em mente os seguintes pontos principais:

 

1 - Cada Patrulha acampa como uma unidade. Cada acampamento de Patrulha deve ficar, se possível, fora das vistas dos outros e não muito próximo de qualquer deles.

2 - Barraca do Chefe no centro, com o mastro para a Bandeira e o Quadro de Avisos do acampamento nas proximidades.

3 - Cada cozinha próxima do acampamento da mesma patrulha. O local da cozinha deve ter de 4 a 5 metros quadrados e ser cercado por um cabo.

4 - Latrinas e fossas, nos lugares mais convenientes, a favor do vento e no máximo a cerca de cem metros do acampamento. Poderá ser usada à noite, uma lanterna se, bem protegida, for conservada acesa, principalmente nas noites mais escuras.

5 - Barraca-Enfermaria e Barraca-Intendência, na sombra, próximo da barraca da Chefia.

6 - Incinerador principal a favor do vento.

7 - Local de lavagem do material e água para beber tão próximos do acampamento quanto possível.

 

Vamos considerar quatro fases de planejamento para uma patrulha Escoteira que irá acampar com 07 elementos:

 

1-PLANEJAR A PLANTA DO ACAMPAMENTO E DISTRIBUIR AS TAREFAS:

 

Isto é feito pela Patrulha em ´´Conselho``, de modo que as idéias de todos possam ser ouvidas.Vocês tem que decidir onde pôr as barracas,onde será a cozinha,onde será o lavatório ou banheiro,onde ficará a latrina (exceto se no local houver latrinas e banheiros permanentes). Posso dar algumas indicações,principalmente porque quase tudo depende do local,porém eis aqui algumas dicas a lembrar:

 

A)Suas barracas devem ficar num solo bem nivelado,talvez ligeiramente inclinado,porém nunca numa encosta.

B)Arme as barracas a barlavento da cozinha e da latrina(barlavento,se você não sabe é de onde o vento vêm.Isto significa que o vento passará pela suas barracas antes de passar pela cozinha e latrinas,que ficam,portanto,a sotavento das barracas.)

C)Não esqueça a ´´fossa de gorduras``,num anexo da cozinha,ou num terreno pouco,útil,junto a uma cerca,cuidadosamente marcada para ninguém cair nela.

D)Não se esqueça do ´´depósito de lenha``, e desde o princípio,arrume a sua lenha pó grossura  para facilitar na hora de fazer o fogo.

 

2-ARMAR AS BARRACAS-MONTAR A COZINHA-LENHA:

 

Na chegada ao local do acampamento,enquanto o monitor vai ver o local da Canto de Patrulha com o chefe,o Sub-monitor fica organizando o material de Patrulha e individual para ser carregado o mais breve possível, para o Canto de Patrulha escolhido.

Após o transporte do material as tarefas deverão ser assim distribuídas, já que estas são as mais importantes, principalmente se o tempo estiver para chover, mas antes verifique a distribuição do Canto de Patrulha conforme o planejado(croqui).

Três elementos devem armar as Barracas da Patrulha, cuidando do local, canaletas, espeques, etc... Dois elementos montam a lona (toldo) para a cozinha.

Dois elementos (o lenhador e mais um) preparam o Canto do lenhador e buscam lenha o mais rápido possível.

 

3-FAZER MESA-ARMÁRIOS-BUSCAR ÁGUA-LAVATÓRIO-FOGÃO:

 

Quatro elementos terminam de montar a cozinha(fogão de barro,mesa,armário). Um elemento,o aguadeiro,bisca a água e vai ajudar na montagem da cozinha. Um elemento irá fazer o lavatório(lavador de mãos e do material de cozinha)

 

4-FAZER COMIDA-CONSTRUÇÕES DE PIONEIRIAS-FAZER AS FOSSAS:

 

O cozinheiro e o Auxiliar devem fazer a comida e armazenar os gêneros alimentícios. Dois elementos devem fazer as fossas sólidas, e líquidas. Dois elementos(com maior conhecimento técnico)devem fazer as pequenas pioneiras como: Portal de Patrulha, Porta mochila,Porta pratos, Porta canecas,etc... OBS: Procure passar a próxima etapa somente quando tiver concluído completamente a anterior. 

 

CANTO DO LENHADOR

 

Para a segurança da Patrulha é a primeira coisa a ser feita nocampo.

Assim tanto para quem corta madeira como os demais estarão em segurança. Evita perder ferramentas.

No canto do lenhador deve ficar apenas a pessoa que está cortando a madeira.

O canto do lenhador pode ser melhorado, dependendo da criatividade dos Escoteiros.

As ferramentas devem estar identificadas com as cores da Patrulha.

 

PIONEIRIAS

 

Se o acampamento for do tipo em que seja possível construir pioneirias, então:

 

· Prepare-se com antecedência;

· Adestre todos da patrulha em nós e amarras;

· Obtenha informações sobre o terreno, se é um chão duro, muito fofo ou úmido;

· Faça o projeto das pioneirias antes;

· Verifique se tem todo o material e ferramentas necessárias.

· Não deixe tudo para a última hora !!!

 

6º Artigo da Lei Escoteira:

O ESCOTEIRO É BOM PARA OS ANIMAIS E AS PLANTAS.  

 

Por ser bom para os animais e as plantas, o escoteiro protege a vida e a natureza.

A vida é um fenômeno extraordinário, surpreendente e único.

A vida é o espaço e o tempo de nossos sonhos, nossas esperanças, nossas paixões e nossos esforços.

A vida é o começo de nossa história e nossa história é o encontro com a vida. O ser humano é chamado a respeitar a vida.

Ser bom para os animais e as plantas é respeitar e proteger a vida. É, também, tomar consciência da relação que existe entre o homem e as demais espécies animais e vegetais.

É respeitar a natureza e se comprometer ativamente com a integridade do meio ambiente, entendendo que o desenvolvimento sustentável exige pessoas que se preocupem com o futuro e que estejam dispostas a assumir uma atitude solidária com o destino da humanidade e de outras espécies que convivem no ecossistema mundial.

Para os Escoteiros, a proteção da vida é parte da Lei e é um reflexo dos princípios que nos guiam.

Comprometemos-nos a amar a Deus, criador da vida, e a servir aos nossos semelhantes, fazendo deste mundo lindo e maravilhoso em que vivemos, um lugar melhor para todos, os que agora o habitam e os que o habitarão no futuro.

Pioneirias é o nome dado a utensílios de suporte utilizado pelas patrulhas escoteiras quando em atividade de acampamento, e servem para trazer conforto a patrulha quando essa está reunida em seu canto de patrulha.

Vários são os modelos e versões de pioneirias, o mais importante, no entanto, é que elas tenham finalidade e objetivo naquela determinada atividade. A sua criação, na maioria das vezes, é dada pela necessidade que a patrulha tem. O mais importante é que sejam respeitados alguns princípios para que essas pioneirias sejam úteis e não passem a ser um estorvo ou passem a ser inconveniente.  

 

Princípios:

 

1.Finalidade – qual a finalidade da pioneiria que iremos confeccionar.

2.Lei da física – para uma pioneiria ficar de pé, sem estar ancorada ao chão, deve estar apoiada por pelo menos três pontos, que não poderão estar em linha reta.

3.Escolha do material pra a sua construção – De fácil manuseio e que tenha sustentação quando assim se desejar.

4.Proporção – deve ser proporcional a que foi criada desempenhando a função desejada.

5.Amaras – Devem ser adequadas e exercerem a função correta de sustentação e fixação. Devemos aplicar nós e amarras corretos nos lugares adequados.

 

NÓS

 

Nó Direito 

Utiliza-se para unir duas cordas da mesma espessura.

 

Nó Direito Alceado 

Como o Nó Direito simples é utilizado para unir dois cabos da mesma espessura, porém possuí uma alça que desata o nó quando puxada. Geralmente é usado quando o nó direito não é permanente e precisará ser desfeito mais tarde.

 

Nó de Escota 

Utiliza-se para unir duas cordas de diferente espessura.

 

Nó de Escota Alceado 

Mesma utilidade do escota, só que mais fácil de desatar. é muito utilizado para prender bandeiras na adriça.

 

Nó de Correr 

Serve para fazer uma alça corrediça em uma corda.

 

Nó em Oito 

Utiliza-se para evitar o desfiamento da ponta de uma corda. Utilizado também por montanhistas para unir duas cordas (nó em oito duplo).

 

Volta da Ribeira 

Utilizado para prender uma corda a um bastão (tronco, galhos, etc.) depois mante-la sob tensão.

 

Volta do Fiel 

Nó inicial ou final de amarras. Não corre lateralmente e suporta bem a tensão. Permite amarrar a corda a um ponto fixo.

 

Volta do Fiel Duplo 

Utilizado para amarrar cabos de retenção e espias.

 

Catau 

Utiliza-se para reduzir o comprimento de uma corda sem cortá-la. Serve também para isolar alguma parte danificada da corda, sem deixá-la sob tensão.

 

Nó Aselha 

é utilizado para fazer uma alça fixa no meio de um cabo.

 

Nó de Arnez 

é utilizado para fazer uma alça fixa no meio de uma corda (sem utilizar as pontas).

 

Balso pelo Seio 

Serve para fazer duas alças fixas do mesmo tamanho em uma corda.

 

Fateixa 

Serve para prender um cabo a uma argola.

 

Lais de Guia 

Utilizado para fazer uma alça fixa (e bastante segura) tendo em mãos apenas uma ponta da corda.

 

Nó de Pescador 

Utilizado para unir linhas de pesca, cordas corrediças, delgadas e até cabos de couro.

 

Volta Redonda com Cotes 

Utilizado para prender uma corda a um bastão.

 

Volta do Salteador 

Utilizado para prender uma corda a um bastão, com uma ponta fixa e outra que quando puxada desata o nó. 

 

Moringa 

O Nó de Moringa é utilizado para amarrar um cabo em um gargalo de garrafa ou jarro. é seguro e resistente.

 

Nó de Frade 

Este Nó é usado para criar um tensor na corda. Pode servir para parar uma roldana ou auxiliar na subida de uma corda como nó de apoio. Também pode ser usado para a transmissão de código morse.

 

Enfardador 

O Nó Enfardador permite ser sempre ajustado quando é necessário manter uma corda ou cabo sempre esticado. Numa falsa baiana, por exemplo, ao receber muito peso o cabo afrouxa, com este nó é possível estica-lo novamente com firmeza ser desfazer completamente o nó.

 

Cadeira de Bombeiro 

é um nó simples e rápido de atar quando se precisa subir ou descer uma pessoa de uma árvore, barranco ou outro ponto. é seguro, porém mais utilizado em caso de emergência ou quando a altura não oferece grandes riscos. Para estes casos, existem cadeiras mais elaboradas e seguras.

 

Falcaça 

 A falcaça é feita na ponta de um cabo evitando que ele comece a desmanchar com o uso e o tempo. Pode ser feita com linha grossa.

 

AMARRAS

 

Amarra Diagonal 

Serve para aproximar e unir duas varas que se encontram formando um ângulo agudo. é menos usada que a Amarra Quadrada, mas é muito utilizada na construção de cavaletes de ponte, pórticos etc. Para começar usa-se a Volta da Ribeira apertando fortemente as duas peças, dão-se três voltas redondas em torno das varas no sentido dos ângulos, e em seguida, mais três voltas no sentido dos ângulos suplementares, arrematando-se com um anel de duas ou três voltas entre as peças (enforcamento) e uma Volta de Fiel para encerrar. Pode-se também encerrar unido a ponta final a inicial com um nó direito.

 

Amarra Quadrada 

é usada para unir dois troncos ou varas mais ou menos em ângulo reto. O cabo deve medir aproximadamente setenta vezes o diâmetro da peça mais grossa. Começa-se com uma Volta de Fiel bem firme ou uma Volta da Ribeira. A ponta que sobre desse nó, deve ser torcida com o cabo para maior segurança ou utilizada para terminar a amarra unindo-se a ponta final com um nó direito. As toras ou varas são rodeadas por três voltas completas redondas entre as peças (enforcamento) concluindo-se com a Volta do Fiel na vara oposta ao que se deu o nó de início ou com o nó direito na extremidade inicial.

  

Amarra de Tripé 

Esta amarra é usada para a construção de Tripés em acampamentos, afim de segurar lampiões ou servir como suporte para qualquer outro fim. A amarra de tripé é feita iniciando com uma volta da ribeira e passando alternadamente por cima e por baixo de cada uma das três varas, que devem estar colocadas lado a lado com uma pequena distância entre elas. A vara do meio deve estar colocada bem acima, afim de amarrar a sua extremidade inferior à extremidade superior das outras duas ao lado. Não é necessário o enforcamento nesta amarra, pois ao ajustar o tripé girando a vara do meio a amarra já sofre o "enforcamento" sendo suficientemente presa. Entretanto, em alguns casos o enforcamento pode ser feito, passando voltas entre as varas e finalizando com uma volta do fiel ou nó direito preso a extremidade inicial.

 

Amarra Paralela 

Serve para unir duas varas colocadas paralelamente. Pode ser usada para apoiar ou até sustentar o outro bambu. Faz-se uma argola e dá-se voltas sobre ela e as duas varas como se estivesse falcaçando, terminando, também como uma falcaça, passando a ponta do cabo pela argola e puxando a outra extremidade para apertar. Finaliza-se com um nó direito unindo as duas extremidades.

 

COMIDA MATEIRA

 

Apesar de hoje em dia ser mais fácil, e prático, levar aos acampamentos ou excursões uma comida semi-pronta, enlatados, desidratados, como purê, arroz, sopão, etc. a comida mateira ainda é uma importante fuga saudável da comida rotineira dos semi-prontos, ou você já viu antes banana caramelada enlatada? ou pão de caçador para viagem? ... acho que não.

Selecionamos aqui algumas receitas recolhidas pela internet, algumas foram testadas e com elas você poderá arrasar em qualquer concurso de culinária no acampamento, você também pode mandar a sua, veja como em "Praticando e Aprendendo".

 

Arroz sem Panela

Ingredientes:

Arroz, Água, Sal, Caixa de leite longa vida (Tetrapack)

Modo de Preparo:

Faça da caixa de leite sua panela abrindo-a pela parte de cima. Encha dois terços da caixa com água e coloque três

punhados de arroz e um pouco de sal. Feche a caixa e coloque perto da brasa por aproximadamente 30 minutos.

Tome cuidado para não deixar o arroz queimar.

 

Arroz Simples

Coloca-se na panela gordura ou óleo, alho esmagado e cebola cortada. Quando estiver dourando, coloca-se o arroz e mexe-se até começar a fritar. Acrescenta-se então uma quantidade de água igual ao dobro da medida que se usou para o arroz. Acrescenta-se sal em pequenas quantidades mexendo até que o gosto esteja conforme o desejado. Deixa-se ferver e põe-se a cozinhar em fogo brando até secar.

 

Frango Enterrado

Ingredientes:

1 Frango, Sal e Papel Alumínio.

Modo de Preparo:

Faça uma fogueira num buraco e deixe até que fique somente brasa.

Coloque sal a gosto no Frango e envolva-o em papel alumínio.

Coloque o frango enrolado dentro do buraco com brasa e recubra com barro e depois terra, até fechar o buraco.

Acendenda uma nova fogueira sobre o mesmo local (Frango Enterrado).

Aguarde aproximadamente 2 horas e retire o frango.

 

Café

Coloca-se água para ferver. Quando estiver em ebulição mistura-se o pó de café, mexe-se um pouco, tira-se do fogo e despeja-se no coador, logo que tirar a panela do fogo lança-se à bebida uma brasa acesa, ou um pouco de água bem fria: isto provocará a queda do pó para o fundo do recipiente.

 

Chá ou Mate

Derrama-se o chá em uma porção de água fervendo. Após uns cinco minutos passa-se no coador. 

 

Chocolate Quente

Desmancha-se o chocolate em água fria ou leite, depois leva-se ao fogo para ferver.

 

Bolo de Legumes

Ingredientes:

5 tomates cortados em cubos

1 cebola picada

3 colheres (sopa) de salsa e cebolinha picadinhas

4 ovos

3/4 de xícara de óleo

100 g de queijo ralado

2 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de sal

1 colher (sopa/rasa) de fermento em pó

1 xícara (chá) de ervilhas

1 xícara (chá) de milho verde

1 cenoura ralada

Preparo:

Em um recipiente, misture os tomates (se quiser, tempere com sal e orégano), cebola, cenoura, milho, ervilha,

salsa e cebolinha, queijo ralado, o sal e as gemas levemente batidas e o óleo.

Mexa bem até se misturarem completamente.

Coloque a farinha de trigo aos poucos, e continue mexendo. Acrescente o fermento. Bata as claras em neve firme

e junte nesta mistura. Unte e polvilhe uma forma redonda com furo central de 30 cm de diâmetro. Leve ao forno

para assar. Tempo de forno - 40 min

Temperatura do forno - 180º

Obs.: A forma pode ser polvilhada com queijo ralado ou farinha de rosca.

 

Bife à Milanesa

Ingredientes:

Bife, sal, ovo, farinha de rosca.

Modo de preparo: Bata o ovo em um prato fundo. Coloque a farinha de rosca em outro prato. Pegue o bife

temperado com sal à gosto e mergulhe no ovo. O bife deverá ficar todo molhado com ovo. Coloque o bife no

prato da farinha. os dois lados do bife devem levar farinha. Coloque o bife em uma frigideira com duas colheres

de sopa de óleo quente. Frite o bife até dourá-lo.

 

Frango enterrado na brasa

Ingredientes:

1 frango limpo,

2 kilos de sal,

6 a 8 claras de ovos

Modo de preparo:

Fazer uma massa com as claras de ovos e o sal. Cubra o frango com a massa. Envolva o frango em folhas de

bananeiras ou algo parecido, em seguida coloque o frango em um buraco, que deverá conter brasa. Depois cubra

com mais brasa e, jogue terra. Estará pronto dentro de 3 à 4 horas.

 

Mix Carne e Batata 

Ingredientes:

Carne Moída,

batata, cebola e papel alumínio.

Modo de preparo:

Tempere a carne moída com sal e cebola picada. Corte a batata ao meio, separando-a em duas partes iguais. Faça

um "buraco" em uma das metades da batata, de forma que você possa colocar a carne moída neste "buraco".

Junte as duas metades da batata e a envolva no papel alumínio. Coloque na brasa de seu "fogão" mateiro por

cerca de 50 minutos. Desenrole a batata e com uma colher misture a carne moida com a batata.

Obs.: A carne moída não pegará cor, porém deverá estar cozida.

 

Ovo Acebolado

Ingredientes:

1 cebola,

1 ovo,

Papel alumínio.

Modo de Preparo:

Corte a cebola na Horizontal, faça um buraco na parte maior, quebre o ovo. Feche a cebola e enrole no papel

alumínio e leve a fogo por 30 minutos. E bom apetite.

Ovo Chorão

Colocar um ovo cru na casca, entre 5 e 10 cm das brasas da fogueira. Esperar 2 minutos e virar . Quando ele

começar a chorar (se percebe que sai uma gota de água de sua casca), ele estará pronto.

Pizza de Frigideira

Ingredientes:

1/3 de 1 pacote de farinha

1 colher de sopa de açúcar

1 colher de chá de sal

1/3 de 1 pacote de Fermix

3 colheres de sopa de leite em pó

cobertura

água morna

Modo de Preparo:

Peneire os ingredientes secos menos o fermento. Misture bem e faça uma cova no

centro. Na cova, ponha o fermix e um pouco de água morna para o fermento reagir.

Tampe por 5 minutos. Junte a água aos poucos até a massa ficar homogênea e não

grudar mais na mão. Divida a massa em 4 e faça as massas do tamanho da frigideira a ser

usada. Ponha um pouco de fubá e óleo na frigideira e frite um lado da massa, ao virá-la

coloque a cobertura e tampe! Pronto, uma pizza dá pra 2 pessoas.

 

Feijão Simples

Coloca-se o feijão na panela com água e sal e deixa-o ferver até amolecer. Retira-se então uma porção e derramase

em uma frigideira onde estão alho e cebola dourando em um pouco de gordura quente ou óleo. Misture o

feijão amassando um pouco e derrama-se na panela novamente. Deixe-o no fogo mais algum tempo até que o

caldo engrosse. 

Para facilitar o cozimento do feijão, pode-se deixá-lo de molho algumas horas antes de cozinhá-lo.

Para torná-lo mais saboroso, costuma-se cozinhá-lo com pedaços de lingüiça, carne seca, lombo, toucinho, etc.

Essas carnes salgadas, devem ser fervidas antes de ser colocadas no feijão para que percam a grande quantidade

de sal que trazem para sua conservação.

 

Maçarão com Frango

Ingredientes:

500g de macarrão,

2 peitos de frango,

tempero a gosto(sal,tomate,cebola,salsinha...)

Modo de Preparo:

cozinhe os peitos e corte em cubinhos (ou desfie se preferir), ensope e misture ao macarrão já cozido e escorrido.

rendimento 6 porções.

Macarrão Rápido João de Barro

Ingredientes:

200 grs por elemento,

óleo,

água,

sal,

sardinha,

temperos,

se quiser pode ter queijo ralado também.

Modo de fazer:

Coloque pra ferver a água, quando estiver fervendo, coloque um fio de óleo e sal. Quebre o macarrão (se for

comprido), acrescente água. Revolva com um garfo pra soltar. Quando estiver mole, escorra, e acrescente um

pouco de margarina ou óleo, enquanto quente e despeje a sardinha misturada com os temperos. Não precisa

lavar em água fria.

 

Macarrão Simples

É uma refeição muito usada em acampamentos, mas que deve ser acompanhada de outros complementos, pois é

pequeno o seu valor nutritivo.

Atualmente se encontra a venda o "macarrão instantâneo" que dá bons resultados e é muito prático, bastando

seguir as instruções da embalagem. Em algumas regiões pode haver algumas dificuldades de se encontrar este

tipo, portanto aqui vão as instruções para fazer o tipo tradicional, comumente encontrado em todo o Brasil.

É preciso uma panela de água fervendo onde se vai colocando o macarrão inteiro ou partido conforme desejado.

É indispensável que haja bastante água e espaço, pois o macarrão cozido "cresce" e se não houver espaço

suficiente, acaba grudando.

Depois de colocar o macarrão, deixe-o recomeçar a ferver e mexa-o de vez em quando, adicionando sal a gosto.

Quando o Macarrão estiver cozido, escorre-se a água quente e lava-o em água corrente. Adiciona-se então molho

enlatado, ou feito à parte e come-se quente com queijo ralado conforme seu gosto.

 

Mingau

Excelente alimento para o desjejum e é muito fácil de fazer. Desmancha-se a maizena, o fubá, ou outra farinha

que se deseja fazer como mingau, em leite frio, adiciona-se açúcar e manteiga. Leva-se a panela ao fogo brando,

mexendo sempre até adquirir a consistência desejada, ou seja, a de um creme. 

 

Peixe Cozido

Depois de limpo e escamado, deixa-se de molho com suco de limão e sal. Numa panela coloca-se azeite,

temperos e batatas cortadas ao meio e descascadas para cozinhar em uma porção de água que dê para cobri-las.

Quando a batata estiver macia coloca-se o peixe cortado em pedaços ou postas. Mantendo-se a panela no fogo

tampada, em 10 ou 15 minutos o peixe estará pronto.

 

Peixe Frito

Depois de limpo e escamado, tempera-se com sal e limão. Levando-se ao fogo uma frigideira com gordura ou

óleo e deixe-o ficar bem quente. Passe os pedaços de peixe úmido do molho em farinha de mesa ou fubá de

milho, colocando-os em seguida na gordura quente. Quando estiverem dourados estão prontos e devem ser

postos a escorrer o excesso de gordura.

 

Legumes Mateiro

Ingredientes:

Sal,

papel alumínio,

1 batata média,

1 cenoura grande,

1 cebola pequena,

4 vagens,

2 colheres de ervilha,

e outros legumes à gosto.

Modo de Preparo:

Fatiar a batata e a cenoura bem fina, picar bem a cebola e a vagem, adicionar as ervilhas e os legumes, cortando-os,

fatiando-os ou picando-os á gosto. Misture e tempere os legumes com sal à gosto. Envolva os legume em um

pedaço de papel alumínio sem deixar aberturas ou furos. Coloque-o sobre a brasa de seu "fogão" espere cerca de

vinte minutos e seu Legumes Mateiro estará pronto para comer.

 

Salada de Ovos

Cozinhe 1 ovo para cada pessoa (5 ovos para 5 pessoas). Depois de cozinhar coloque numa vasilha separando a

gema da clara, amasse muito bem e depois misture bem. Coloque numa vasilha, corte 1 tomate para cada pessoa

e tempere bem com salsinha, cebolinha, sal e um pouco de azeite (que pode ser desnecessário), junte aos ovos.

cozinhe 1 batata para 3 pessoas. Coloque um pouco de mostarda preta na batata depois de cozida corte em

pedaços. Corte 1 maçã para cada 2 pessoas, e coloque junto ao ovo e ao tomate. Corte em 2 pedaços algumas

azeitonas (lembre-se de tirar o caroço) e misture todos ingredientes colocando por último a batata, misture

muito bem.

Sugestões: comer no pão de forma ou bisnaguinha, ou comer acompanhado de arroz e alface. Essa saladinha é

muito gostosa e não estraga, se guardarem, deixem para colocar a mostarda na hora de comer.

 

Banana Assada

Ingredientes:

Uma Banana,

Açúcar,

Canela e Papel Alumínio. 

Modo de Preparo: Enrole a banana no papel alumínio, com casca e tudo, e leve a fogueira. Após cerca de 20

minutos, retire do fogo e tire o papel. Coloque num prato, retire a casca da banana, coloque canela e açúcar a

gosto. Corte a Banana ao meio na vertical formando duas fatias compridas, jogue canela e açúcar na parte de

dentro das fatias. Junte as fatias como eram antes, enrole com o papel alumínio e coloque para assar de 15 a 20

minutos.

 

Maçã Recheada

Ingredientes:

maçã,

açúcar

canela.

Modo de Preparo:

misture o açúcar e a canela, logo após abra as maçãs ao meio faça pequenos buraquinhos e recheie com o açúcar

e a canela, feche a maçã envolva com papel alumínio e leve a brasa por + ou - 5min.

 

Mousse de Chocolate para Acampamento

Ingredientes:

1 lata de leite condensado,

1 lata de creme de leite e achocolatado a gosto.

Modo de Fazer:

misture tudo e sirva.

 

Pipoca Cristalizada

Ingredientes:

milho de pipoca,

açúcar e óleo.

Modo de Preparo:

coloque todos os ingredientes na panela e fique atento para o açúcar não queimar, para isso mantenha fogo

baixo e não pare de mexer. assim que a pipoca começar a estourar, fique atento. depois e só colocar em uma

vasilha e comer!

 

Sopas

São muito usadas atualmente as sopas em pó, acondicionadas em pacotes. Para que fiquem boas, é indispensável

seguir à risca as instruções do envelope. É interessante que você acrescente, de acordo com a sopa , legumes

como batata e cenoura, ou carnes como lingüiça, presunto ou salame, para aumentar seu valor nutritivo.

 

Ovo chorão

Colocar um ovo cru na casca, entre 5 e 10 cm das brasas da fogueira. Esperar 2 minutos e virar com cuidado.

Quando ele começar a chora (uma gota de água aparece na casca), ele está pronto.

 

Cebolas Douradas

Dourar rodelas de cebola (quantidade generosa), não deixar queimar. Salpicar com um pouco de farinha de

trigo,deixe cozinhar um pouquinho, mexendo sempre. Juntar uma clara de ovo e uma colherada de vinagre.

Deixe ferver 2 minutos.Junte a gema batida com um pouco de água fria. Acabar de cozinhar e servir.

 

Mouse de Limão

Ingredientes:

1Lt Leite condensado;

1lt Creme de leite;

50ml Suco de limão.

Misture o creme de leite e o Leite condensado, depois vá mexendo e acrescentando o suco de limão até o creme

ganhar consistência, depois ponha-o numa anela, feche-a com sisal e sacos plásticos e mergulhe-a num rio na

sombra por 3 horas para endurecer.

Obs1: Pode-se acrescentar biscoito champanhe, biscoito de maizena ou pão de ló em camadas e fazer um Pavê

Obs2: Pode-se substituir o suco de limão por suco concentrado de maracujá.

 

Batata Recheada

10 Batatas inglesas grandes

400g lingüiça calabresa

Papel Laminado ou folhas de bananeira

Corte as batatas ao meio, raspe o miolo com uma colher, pique as calabresas, complete os furos com a calabresa,

feche as batatas e envolva-as no papel alumínio (com a parte brilhante voltada pra dentro) ponha nas rasas de

um fogueira.

 

Sopa de cebolas

Dourar cebolas com margarina, juntar um pouco de farinha de trigo, mexer bem. Juntar caldo de galinha em

cubos, água, sal e pimenta, se quiser. Deixar cozinhar um pouco, servir com queijo ralado por cima.

 

Milho assado na brasa

Colocar o milho verde em espiga na grelha, e ir "regando" com água e sal, até o cozimento.

 

Espetinho vegetariano

Fazer espetinhos com cebola, tomate, pimentão, batata doce pré-cozida, toicinho (bem pouco, só para dar um

pouco mais de sabor), salsicha em lata. Pincela-se com um pouco de margarina e sal. Enrolar em papel alumínio e

colocar sob a brasa para ir assando.

 

Tomates

Colocar um pouco de óleo numa panela. Colocar alguns tomates inteiros, lavados. Tampar, e deixar cozinhar em

fogo fraco por alguns minutos. Juntar cheiro verde, orégano, sal, etc. Servir com arroz ou macarrão. (deve ser um

bom acompanhante para o famoso miojo...).

 

Maça/banana na brasa

Para sobremesa, pode se colocar uma maçã ou uma banana na brasa e quando estiverem cozidas tire da brasa

abra e coloque canela misturada com açúcar.

 

Arroz na Moranga

Abra na moranga, uma tampa de uns 7 cm. Na parte de cima da mesma e retire seu miolo. Coloque o arroz, a

água e seus temperos na moranga. Agora, basta cozinhar, da mesma maneira que se fosse uma panela normal. 

Assim, o arroz trará o sabor da moranga, junto com o seu gosto natural.

 

Ovo no Barro

Esta é uma receita muito simples, basta envolver o ovo com uma camada de cerca de 2 cm de barro, após,

coloque-o no fogo em brasas. Quando o barro secar e começar a rachar, é sinal de que o ovo está pronto.

 

Ovo no Espeto

Coloque o espeto no ovo, como mostra a figura, é necessário furar o ovo nas duas extremidades, para isso, bata-o

levemente em uma pedra ou algo duro, é necessário cuidado para não quebrar o ovo.

Após, coloque o espeto com o ovo a uma distância de cerca de 15 cm de um fogo em brasas

É normal, que enquanto o ovo estiver no fogo, derrame um pouco de sua gema, porém, quanto menor for o

buraco onde foi colocado o espeto, menos conteúdo será derramado.

 

Batata Recheada com Ovos

Escolha uma batata grande, tire uma tampa e retire o interior da batata, até que ela se transforme em um

recipiente que caiba um ovo derramado. Com a clara, um pouco dela, cole a tampa na batata ou fixe com dois

palitos. Envolva com papel laminado e leve as brasas. Cozinhar por volta de 25 min. Experimentar com a ponta de

um garfo se está cozida.

 

Macarrão com atum ou sardinha

Ingredientes:

01 pacote de 500g de macarrão

1 lata de atum ou sardinha

sal e pimenta a gosto d patrulha, se quiser pode usar uma caixa de molho de tomate ou de creme de leite e

manteiga ou margarina.

Modo de preparo:

Coloque o macarrão para ferver conforme as instruções do pacote (ponha a água para ferver e quando ferver

coloque o macarrão, se colocar o macarrão para ferver junto com a água vira papa).

Depois de cozido o macarrão, refogue o macarrão com o atum/sardinha com o tempero.

Se a escolha da patrulha for o molho vermelho, acrescente depois de cozido o macarrão o molho de tomates.

Se for a opção do creme de leite, refogue junto com o macarrão e o atum/sardinha.

 

Pizza Escoteira

Ingredientes:

molho de tomate

sal

farinha de trigo

queijo

papel alumínio

água

Modo de preparo:

Misture a farinha de trigo, sal e água até a mistura se tornar homogênea, como no pão caçador.

Acrescente o queijo e o molho de tomate ao pão.

Embrulhe tudo em papel alumímio, e coloque na brasa.

 

Arroz Carreteiro 

Ingredientes:

arroz

linguiça

paio

carne seca

cebola

bacon

cebola

tomates

sal

molho de tomate

Modo de preparo:

Faz-se o arroz do modo tradicional (frite os temperos e refogue o arroz, quando ferver a água jogue no arroz

deixando-o coberto de água fervendo) e mantenha-o guardado.

Em outra panela, afervente a linguiça, a carne seca e o bacon. Que já estão picados.

Após a fervura refogue-os sem colocar gordura. Coloque a cebola e o tomate, acrescente água e o molho de

tomates.

Logo após misture o molho com o arroz.

 

Batata Recheada

Ingredientes:

batata

presunto

queijo

ovo

papel alumínio

sal

Modo de preparo:

Pegue uma batata crua, tire o tampão de cima (guarde-o), tire o miolo da batata (mas não deixe a casca da batata

muito fina.

Recheio: Pegue o presunto e o queijo picado ou inteiro, o ovo e sal a gosto, misture tudo e ponha dentro da

batata.

Tampe a batata com o tampão, ponha dois palitos para segurar (um de cada lado do tampão), embrulhe no papel

alumínio e ponha a batata na brasa.

 

Batata ao murro

Ingredientes:

batata

sal

margarina ou manteiga

presunto, queijo ou o que preferir

Modo de preparo:

Cozinhe a batata com bastante água até que fique mole. Cada escotista escolhe sua batata e dá um murro nela

em seu prato, para que espatife. Coloque em cima a margarina/manteiga, sal e o que gostar a mais, presunto,

queijo, etc. 

 

Galinhada

Ingredientes

2 kg de galinha em pedaços

1 kg arroz

1 xícara de chá de óleo de milho

1 cebola grande

2 dentes de alho

2 tomates sem pele

1 colher de chá de salsinha e Cebolinha

1 folha de louro

Açafrão

2 litros de água

Sal

Pimenta do reino preta

Suco de limão

Modo de preparar:

Lave, seque e tempere a galinha com sal, pimenta e limão. Reserve por duas horas. Aqueça o óleo numa panela

de ferro, frite os pedaços da galinha até dourar, junte os outros ingredientes e deixe ferver. Abaixe o fogo e deixe

cozinhar cerca de 45 minutos em fogo baixo.O arroz deve ficar meio papa.

Rendimento: 6 porções

 

Pão à Caçador

Ingredientes:

farinha de trigo

sal

varas de bambus água

Modo de preparo:

Despeje a farinha com pitadas de sal numa vasilha. Coloque água aos poucos, até que a massa fique macia, mas

não muito mole. Misture bastante até que a massa desgrude do fundo.

Pegue porções da massa e as enrole. Coloque-as enroladas em um pedaço de bambu limpo e sem fiapos.

Leve o espeto à fogueira, não muito perto do fogo. O pão estará no ponto quando estiver dourado.

 

Kabobs

Ingredientes:

uma porção de arroz (para uma pessoa)

batata

sal

queijo

presunto

cenoura

papel alumínio

Modo de preparo:

Coloque tudo dentro do papel alumínio, e coloque nas brasa do fogo. Aí é só esperar e está pronto.

Obs: pode ser colocado carne moída no lugar do arroz.

 

Banana caramelada 

Ingredientes:

bananas

açúcar

papel alumínio

Modo de preparo:

Passe a banana no açúcar enrole no papel alumínio e leve a brasa por uns 10 minutos.

Maçã caramelada

Ingredientes:

1 maça

1 goiabada

½ xícara de açúcar

Modo de preparo:

Pegue a maçã, abra e tire o caroço. Preencha o lugar onde tirou o caroço de goiabada.

Feche, passe açúcar em cima da maçã e embrulhe no papel alumínio. Leve ao fogo até o papel ficar meio

dourado.

 

Maçã Mateira

Ingredientes:

1 maçã

1 pedaço de goiabada

Modo de preparo:

Corte a maçã ao meio e recheie com a goiabada, embrulhe com papel alumínio e leve a fogueira até o papel ficar

um pouco dourado.

 

Banana Caramelada da China

Ingredientes:

Para a Calda:

4 xícaras (chá) de açúcar

½ xícara (chá) de karo

12 colheres (sopa) de água

2 colheres (sopa) de vinagre

Para Empanar:

¼ xícara (chá) de farinha de trigo

½ xícara (chá) de amido de milho

1 pitada de sal

1 colher (chá) fermento em pó

1 colher (sopa) de óleo

1 clara batida em neve

6 bananas-nanicas, cortadas em pedaços grandes

óleo para fritar

Preparo:

Misture todos os ingredientes da calda e leve ao fogo alto, mexendo sempre, até ferver. Abaixe a chama e

cozinhe por 25 minutos, ou até que a calda atinja coloração caramelo.

Enquanto a calda cozinha, frite as frutas: coloque numa tigela a farinha, o amido de milho, o sal, o fermento em

pó, o óleo e ½ xícara de chá de água. 

Misture bem com um batedor de arame até obter uma massa lisa.

Junte a clara em neve e misture delicadamente. Mergulhe os pedaços de banana na massa, com a ajuda de um

garfo, e em seguida frite 3 de cada vez, em óleo quente, para que estufem e fiquem dourados.

Retire-as do óleo e coloque-as num prato levemente pincelado com óleo.

Espete cada pedaço num palito de churrasco e em seguida mergulhe-os na calda, formando uma camada

homogênea. Depois de passar as frutas no caramelo, mergulhe-as numa vasilha com água e gelo para que a calda

seque e esfrie rapidamente, deixando a preparação bem vitrificada e crocante. Mantenha as frutas carameladas

num prato untado com óleo até o momento de servir, evitando que grudem. Polvilhe com sementes de gergelim.

Opções: use 4 maçãs vermelhas, descascadas e cortadas em cubos ou pedaços de abacaxi. 

 

FOGO

 

Para fazer as mechas deve-se

enrolar papel e amarrar com barbante

e mergulhar em parafina derretida.

Após, cortar em tamanhos adequados

 

ORIENTAR-SE

 

ORIENTAÇÃO